quinta-feira, maio 14

Quando falo no vazio do quotidiano, refiro-me à banalidade do estilo de vida da maioria das pessoas, vivem numa aparente felicidade, realização pessoal, a felicidade não pode nem deve ser um estado individual, mas sim um estado universal. A estrutura das sociedades modernas esta feita para a felicidade individual, é a que mais convem as forças poderosas, esse tipo de felicidade é mais fácil de controlar e de gerir, torna-se quase impossivel uma pessoa libertar-se da teia que a envolve. A satisfação pessoal tornou-se em algo futil e material na maioria dos casos. Alargando um pouco os horizontes e deixando o nosso ego a sofrer é facil perceber isto, basta olhar para as coisas sem desejo para ver o que realmente elas são. As sociedade modernas estão corrumpidas, o culto do "eu" é errado e torna as pessoas em algo que elas não são. Não deixo de dizer isto com alguma tristeza, mas a evolução individual nunca acompanhou a evolução tecnológica.

..."Um homem será tolo se alimentar desejos pelos privilégios, promoção, lucros ou pela honra, pois tais desejos nunca trazem felicidade, pelo contrário, apenas trazem sofrimentos." (Sakyamuni).

3 comentários:

crowe disse...

Ontem andei por cá mas não tive oportunidade de comentar.((Trabalho, trabalho, trabalho!adoro!odiá-lo!))estes teus dois últimos posts deram-me muito que pensar. Gosto disso! Gosto de pessoas que andam por cá e usam a cabeça e as palavras para mais que o convencional e "carneiresco"!
welcome back!

cacau disse...

Alô! penso que é mais 'fácil' para a maioria das pessoas perseguir objectivos 'materiais' como ter um carro xpto ou um telemóvel com ~potencialidades que nunca vão usar em vez de olharem para dentro de si e descobrirem que, afinal, as coisas importantes não se compram e que o sucesso é algo mais complexo do que aquilo que se pinta. Porque o dinheiro é sobrevalorizado, e no entanto as pessoas parecem esquecer-se de apreciarem os dias e as coisas belas da vida e tentarem ser felizes, em vez de ser rico, próspero ou reconhecido socialmente.
Há quem opte pelos caminhos fáceis, porque possivelmente a realidade é dura demais para se enfrentar... Não sei. Mas acho que não é a sociedade que transforma as pessoas em algo que elas não são, mas que as faz revelar algo que sempre foram...
Big kiss
Cacau

Regiani Moraes disse...

Que belo blog, gostei muito, voltarei...